Historial

(Fotografia atualizada em 03/04/2016. Por favor clique na imagem para ampliar)

Fundação > 5 de Outubro de 1988 (28 anos)
Fundadores > Evaristo Martins Tavares, Carlos Manuel da Silva Pinto, Valdemar Mota Duarte, António Ferreira de Oliveira
Presidente (Direção) > Evaristo Martins Tavares; Direção Técnica > Liliana Tavares, André Cunha
Região Etnográfica > Beira Litoral
Danças Tradicionais > Moleirinha, Padeirinha, Moinho, Vira Malhão, Vira de Cruz, Vira de Trempes, Vira de Três ao Meio, Vira Valseado, Pião de Aveiro
Trajes > Noivos, Leiteira, Traje de ir à feira, Padeira, Domingueiro, Moleiro, Ceifeiros Ricos, Vindimadores, Romaria
Representações Nacionais > De Norte a Sul do País
Representações Internacionais > Espanha, França e Suíça
Filiação > Membro da FAMOA (Federação das Associações do Município de Oliveira de Azeméis) (Sócio n.º 97), Fundação INATEL (N.º 5469) (Certificado da Fundação INATEL) e ADRITEM (Associação de Desenvolvimento Rural Integrado das Terras de Santa Maria)
Festivais Nacionais > Organização de XXVI Edições (Ver Histórico);
Festivais Concelhios (Festas do Concelho) > Organização de I Edição (2014) (Ver histórico)
Número de elementos do Rancho Folclórico > 52
Secções > E.M.C.R.UL – Escola de Música “Cravos e Rosas” de UL
 
O Rancho Folclórico “Cravos e Rosas” de Santa Maria de Ul foi fundado em 5 de Outubro de 1988 e fez a sua primeira apresentação em público no dia 8 de Janeiro de 1989. Os trajes envergados pelos elementos do grupo são de invulgar interesse etnográfico, sendo o resultado de uma minuciosa recolha e investigação com recurso a fotografias do final do século XIX, para além da recuperação de algumas peças que se encontravam bastante danificadas.
A tocata é composta por instrumentos tradicionais representativos: o acordeão, a concertina, o violão, o cavaquinho, a viola braguesa, o bombo e os ferrinhos.
Por sua vez, o coro é composto por vozes femininas e masculinas, com o respectivo cantador e cantadeira.
As danças apresentadas pelo Rancho Folclórico "Cravos e Rosas" nas suas actuações são extremamente variadas (na verdade, contam-se 60 danças diferentes no repertório do grupo), sendo normalmente executadas por seis a oito pares de dançarinos, existindo algumas com dez pares.
Tanto estas danças como os cantares que as acompanham pertencem ao mais tradicional folclore de Oliveira de Azeméis e da Beira Litoral. A recolha e pesquisa das mesmas é fruto de um dedicado trabalho de procura feito pelo grupo, tendo em conta as tradições dos antepassados da região em que se encontra inserido. Deste modo, e pelo vasto repertório que este grupo possui, o Rancho Folclórico "Cravos e Rosas" tem sido solicitado para os mais diversos pontos do país, quer em Festivais, Festas e Romarias, quer em outros eventos de carácter cultural, tendo actuado também no estrangeiro, levando a conhecer as suas raízes aos quatro cantos do Mundo. No historial mais recente do grupo no estrangeiro, destaque para as digressões a Zurique, Suíça, em Outubro de 2007, a Pontevedra, Espanha, em Agosto de 2008 e Julho de 2010, e a Périgueux, França, em Julho de 2012.
No grupo predomina a juventude, que procura a boa camaradagem entre elementos, vivendo o folclore com alegria e fazendo com que a cultura da região não seja esquecida.
Para além de todas as apresentações em público, que têm levado a cultura da região a todo o País e ao Estrangeiro, o Rancho Folclórico "Cravos e Rosas" conta ainda com os meios de comunicação social.
 
In “Dicionário Enciclopédico”
 
DOCUMENTO                                                                                                    FORMATO ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO
HIST ORIAL PDF 21/06/2017